Sábado, 25 de Maio de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather
Sábado, 25 de Maio de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather

Política Quarta-feira, 17 de Abril de 2024, 15:17 - A | A

Quarta-feira, 17 de Abril de 2024, 15h:17 - A | A

MORTES BRUTAIS

Presidente de sindicato pede botão do pânico para motoristas de aplicativos

Da redação

A presidente do Sindicatos dos Motoristas de Aplicativo, Solange Menacho, pede a criação do botão do pânico para a categoria, visando a segurança dos profissionais. O pedido, feito na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), na manhã desta quarta-feira (17), ocorreu depois caso de latrocínio bábaro praticado contra três motoristas por aplicativo. Uma reunião com a Secretaria de Segurança Pública (Sesp-MT) será realizada onde a medida será discutida.

"A gente vai pedir por mais segurança. Existem três estados que já tem o botão do pânico, há seis meses que está funcionando e tem dado muito certo. Abaixou na média 40% dos assantos", disse Solange, em conversa com à imprensa. Conforme a represente, o convite para estar na ALMT partiu do presidente da Casa Leis, deputado Eduardo Botelho.

Solange destacou os motoristas de aplicativos "trabalham na rua" e precisavam levar o sustento para casa. Contudo, o medo tem assolado os trabalhadores diante de tantos crimes, muitos deles brutais envolvendos os profissionais da categoria.

"A gente vive na rua, trabalhamos em três períodos (manhã, tarde e noite). Não existe horário para roubo, mas o maior fluxo é na madrugada. A gente vem sofrendo não é de hoje, mas não com tanta brutalidade. A categoria precisa trabalhar! Por mais que tenhamos medo, a gente tem que levar o sustento para casa", disse.

ACORDO COM O COMANDO VERMELHO

Indagada sobre um possível acordo dos motoristas de aplicativos com a facção criminosa Comando Vermelho, Solange Menacho negou que seja verdadeiro e que esse assunto já causou "grande problema".

"Deixo claro para a população, a nossa categoria é de trabalhadores e a gente busca por segurança", declarou.

Fonte: Hiper Notícias 

 

Entre no grupo do Alô Chapada no WhatsApp e receba notícias em tempo real 

Volte para capa do Alô Chapada

Comente esta notícia