Terça-feira, 23 de Julho de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather
Terça-feira, 23 de Julho de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather

Chapada Terça-feira, 18 de Junho de 2024, 07:26 - A | A

Terça-feira, 18 de Junho de 2024, 07h:26 - A | A

novela

Indecisão e falta de resposta sobre obras no Portão do Inferno aflige moradores de Chapada

KATIANA PEREIRA
Da Redação

A falta de um posicionamento oficial sobre a realização de obras no trecho do Portão do Inferno, na MT-251, tem deixado os moradores e comércio local com receio de novos prejuízos, ainda maior do que o já registrado desde o final de 2023, quando a Secretaria do Estado de Infraestrutura e Logística de Mato Grosso (Sinfra- MT) decidiu fechar a principal via de acesso a Chapada dos Guimarães, um dos principais destinos turísticos de Mato Grosso. 

Na segunda-feira (17), a chefe da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lorenzetti, afirmou, em entrevista à imprensa, que a liberação das licenças para que o Governo do Estado realize a obra de retaludamento no trecho conhecido como Portão do Inferno, localizado na MT-251, rodovia que liga Cuiabá a Chapada dos Guimarães, deve sair nos próximos 10 dias.

O Alô Chapada verificou que o Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade (ICMBio), na semana passada, deu parecer positivo para a realização das obras, no entanto, listou 21 condicionantes que devem ser cumpridas. O documento ainda não foi disponibilizado à imprensa e nem à população. 

Falta também o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) se manifestar sobre as licenças. A redação já enviou e-mails solicitando um posicionamento oficial, mas não obteve resposta.

Enquanto isso não acontece, a população de Chapada dos Guimarães está apreensiva, já que o período do meio do ano é um dos mais movimentados, inclusive com realização de uma das maiores festividades do Centro-Oeste, o Festival de Inverno de Inverno de Chapada dos Guimarães, essencial para a economia local. 

Chapada dos Guimarães está começando a recuperar o movimento nos comércios como pousadas, restaurantes, bares e também os passeios nos roteiros turísticos. O impacto da diminuição na visitação de turistas e mesmo moradores de final de semana, desde o fechamento da M-251, ainda é percebido. Agora, a previsão de novos bloqueios na principal via de acesso ao município tem tirado o sono dos comerciantes, que manifestam indignação nos grupos de whatsapp.

O projeto de retaludamento do paredão do Portão do Inferno foi escolhido pela Secretaria do Estado de Infraestrutura e Logística de Mato Grosso (Sinfra- MT) como a melhor opção para resolver o imbróglio envolvendo o Portão do Inferno.

O projeto foi apresentado ao Ibama e ao ICMbio no fim de março deste ano, e desde então aguarda a autorização dos órgãos federais para dar início a obra.

O retaludamento, segundo a Sinfra, apresentou maior segurança quanto ao risco de desprendimento de blocos e possíveis colapsos na rodovia. Além disso, mostrou ter o custo mais baixo e menor complexidade de execução, portanto, mais rápida. O prazo de liberação da pista é de até 120 dias.

 MEIA PISTA

O Governo de Mato Grosso prorrogou, nA segunda-feira (17), o decreto de situação de emergência no trecho do Portão do Inferno, na MT-251, rodovia que leva para o município de Chapada dos Guimarães, 70 km de Cuiabá, conforme publicação no Diário Oficial do Estado. A prorrogação do período tem validade de 180 dias ininterruptos, contados a partir de 11 de junho.

O decreto leva em consideração o relatório técnico de avaliação da área, que aponta riscos de desprendimentos de blocos e escorregamento de material do paredão rochoso do Portão do Inferno, realizado pela Secretaria Adjunta de Proteção e Defesa Civil

 Leia mais: Governo prorroga decreto de situação de emergência em trecho do Portão do Inferno na MT-251

 

 

 

Entre no grupo do Alô Chapada no WhatsApp e receba notícias em tempo real 

Volte para capa do Alô Chapada

Comente esta notícia

Gilvaneide 19/06/2024

Desde que começou o problema só voltei a chapada uma vez. E descida só retornar a cidade quando o problema for resolvido. Achei o percurso ainda mais perigoso. Uma pena, pois vou perder o festival de rock que acontecerá neste final de semana e possivelmente perderei o festival de inverno se não resolverem esse problema até lá.

positivo
0
negativo
0

Raimunda,souza 18/06/2024

E uma vergonha esse impasse. Em nem um momento aqueles que se dizem responsáveis pensam no Povo Chapadense. Que sofre de todas as formas. E fácil para aqueles que podem voar...... Mas a população que depende da Rodoviária está a mercê da Própria sorte Acorda Povo...as Eleições estão chegando.....

positivo
0
negativo
0

Claudio de Oliveira Alves 18/06/2024

Parabéns pela matéria, a mais informativa que vi entre todos os veículos. Agora precisamos ficar atentos às condicionantes que podem gerar custo extras e aumentar o custo da obra. E quanto ao pare/siga, a ignorância me impede de falar tecnicamente, mas a vontade é acabar com isso há meses, é claro.

positivo
0
negativo
0

Ivone 18/06/2024

Nesse ritmo é possível que reconstruam todo o RS antes de resolver o problema de um único paredão em Chapada. Enquanto isso a população corre risco ao transitar por essa rodovia.

positivo
0
negativo
0

Souza 18/06/2024

A população de Chapada tem que acordar..... qual a verdadeira intensão do ICMBIO (que é uma ONG) ????? O IBAMA e o ICMBIO atuam em conjunto ??? será que o IBAMA e o ICMBIO tem o mínimo de preocupação com a economia de Chapada que é importantíssima para o povo de Chapada ???? Passou da hora da população de Chapada cobrar com energicamente essas instituições...

positivo
0
negativo
0

5 comentários

1 de 1