Segunda-feira, 15 de Julho de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather
Segunda-feira, 15 de Julho de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather

Opinião Quinta-feira, 11 de Maio de 2023, 09:24 - A | A

Quinta-feira, 11 de Maio de 2023, 09h:24 - A | A

Ana Sampaio

Fã ou hater, quem é seu o colaborador?

Importante dizer que todos nós podemos ser fãs ou haters em algum momento

ANA SAMPAIO

Planejar, fazer lindas publicações nas redes sociais, escrever artigos e enviar para imprensa, ter brindes incríveis para clientes, propagandas espetaculares, outdoors, panfletos. São incontáveis os produtos e ações de comunicação e marketing que as empresas podem realizar. Mas, e a comunicação interna como está? Quem são os seus colaboradores em situações de crise? Será que são seus fãs e vão te defender ou serão os primeiros haters a te difamar?

Primeiro vou explicar as duas expressões porque podem parecer óbvias e comuns para muita gente, mas o óbvio precisa ser dito. São linguagens usadas na internet. Os fãs ou lovers são aqueles que amam e seguem uma personalidade, marca ou instituição. Enfim, eles estão ali para elogiar, elevar e consumir tudo que aquele perfil faz dentro e fora do mundo virtual. Já os haters fazem o contrário de tudo isso. A tradução da palavra hater é odiador. Ao invés de seguir eles perseguem e estão ali no ambiente virtual para xingar, humilhar e tentar ao máximo destruir aquele perfil de marca ou personalidade.

Importante dizer que todos nós podemos ser fãs ou haters em algum momento. É muito comum comentários negativos em perfis de famosos falando da roupa, do cabelo ou até de um cantor que desafinou em um show ou não tirou foto com um fã às 6 horas da manhã no aeroporto. Só depende do humor ou da atitude da pessoa alheia. Mas quando se é fã, não importa nada, a defesa é certa.

Nas redes sociais, será que seus colaboradores têm orgulho dos conteúdos? Eles compartilham, curtem, comentam e se sentem parte? E até mesmo, eles entendem aquilo que está sendo comunicado por lá? Eles são seus fãs? Provavelmente os colaboradores não farão comentários negativos ou tentarão destruir a imagem da empresa que trabalha no ambiente virtual, mas a ausência dele é um alerta importante.

A comunicação interna é tão importante quanto identificar e alcançar seu público alvo. É necessário para o fortalecimento da implantação da cultura organizacional da empresa e para dar clareza da importância de cada colaborador dentro dos setores. Colaboradores bem informados serão os primeiros a compreender ou defender as companhias em momentos de crise. Ao menos oferecerão o benefício da dúvida.

A comunicação interna fortalece também a implantação e a execução dos trabalhos desenvolvidos de acordo com o propósito, missão, visão e valores das empresas. Comunicar com qualidade cria ainda um ambiente favorável ao desempenho, à produtividade, criatividade, realização profissional e à inovação das pessoas e das equipes.

E ganhar um fã é algo cultural. É pela emoção, com conquista e não por imposição. E comunicação interna é sobre pessoas. Apesar do uso da tecnologia cada vez maior no nosso dia a dia, especialmente com as redes sociais, na comunicação interna funciona bem melhor o olho no olho e as experiências. É por isso que as reuniões de equipe, cafés da manhã e confraternizações funcionam bem.

Especialmente quando tem um propósito.

Comece pelo básico. Falando dos pilares da empresa. Mostrando as novidades primeiro aos colaboradores. Comemorando as metas alcançadas junto com todos. Fazer reuniões falando sobre as ações, o planejamento mensal e o que deve acontecer nos próximos meses também é uma estratégia. Crie também um canal de diálogo aberto, onde eles possam falar, sugerir e opinar. A comunicação faz com que os colaboradores se sintam parte da instituição e cria um elo de confiança entre líderes e equipe.

Outro fator importante para se investir em comunicação interna é estar preparado para as crises. Se os colaboradores conhecem os processos, entendem o propósito e sabem porquê e para que estão desenvolvendo suas funções, serão os primeiros interessados a auxiliar nos momentos de crise. Serão seus primeiros fãs. Vão te ajudar nas campanhas positivas, vão se engajar nas redes sociais ou no mínimo, te dar o benefício da dúvida e te ouvir.

E aí, quem você quer na sua empresa, fãs e haters?

(ANA SAMAPAIO é jornalista do agro e diretora na Crop AgroComunicação, única agência exclusivamente agro em Mato Grosso. Sigam @eladoagromt

 

O Alô Chapada não se responsabiliza pelas opiniões emitidas neste espaço, que é de livre manifestação

Entre no grupo do Alô Chapada no WhatsApp e receba notícias em tempo real 

Volte para capa do Alô Chapada

Comente esta notícia