Quarta-feira, 29 de Maio de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather
Quarta-feira, 29 de Maio de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather

Política Quinta-feira, 09 de Novembro de 2023, 06:42 - A | A

Quinta-feira, 09 de Novembro de 2023, 06h:42 - A | A

CÂNCER DE MAMA

Deputados de MT votam contra PL que obriga hospitais a divulgarem cirurgia reparadora da mama

Da Redação

O jornal A Gazeta divulgou que os deputados federais de Mato Grosso Abilio Brunini (PL), Amália Barros (PL), Coronel Assis (União), Coronel Fernanda (PL) e José Medeiros (PL) votaram contra o projeto de lei (PL) 3072/22, aprovado na última segunda-feira (6) na Câmara dos Deputados. O texto exige que hospitais e clínicas informem mulheres sobre a disponibilidade de cirurgia plástica reparadora da mama pelo Sistema Único de Saúde (SUS) nos casos de mutilação decorrentes de tratamento de câncer.

 O PL foi aprovado com 284 votos a favor e 106 contra e segue para o Senado Federal.

 PL3072/22, proposto pela deputada Flávia Morais (PDT-GO) e aprovado pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher na forma de um substitutivo da deputada Erika Hilton (Psol-SP), visa informar os pacientes sobre a possibilidade de reconstrução mamária pelo SUS após mastectomia.

Mastectomia consiste na retirada cirúrgica de toda a mama.

Conforme o texto, hospitais, clínicas, consultórios e similares que prestem atendimento a pacientes com câncer de mama deverão informar sobre a possibilidade de realização do procedimento sem custo.

Informação deverá ser dada por meio de placas, cartazes, informativos, propagandas ou outros meios, além de pelo próprio médico assistente responsável pela realização da mastectomia. Nesse caso, deverá existir um termo de ciência, a ser anexado ao prontuário médico.

Multa

O não cumprimento das disposições previstas acarretará multas, a serem determinadas por regulamentação posterior.

Outro lado

A assessoria do deputado José Medeiros afirmou que ele votou favorável ao texto, mas contra trecho que retirava punição a quem não o cumprisse.

Da Gazeta 

 

Entre no grupo do Alô Chapada no WhatsApp e receba notícias em tempo real 

Volte para capa do Alô Chapada

Comente esta notícia