Sexta-feira, 21 de Junho de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather
Sexta-feira, 21 de Junho de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather

Opinião Terça-feira, 16 de Maio de 2023, 09:27 - A | A

Terça-feira, 16 de Maio de 2023, 09h:27 - A | A

LUZIMAR COLLARES

Nem agressiva, nem passiva. Comunicação deve ser assertiva

A habilidade de se expressar de forma aberta, objetiva e respeitosa, ajuda a evitar conflitos.

LUZIMAR COLLARES

Falar de um jeito agressivo, tentar convencer à força, impor seu ponto de vista sem levar em consideração a opinião dos outros. A impressão é que alguém com atitudes assim está sempre querendo mostrar poder por meio da comunicação.

O oposto disso também incomoda: alguém que sempre concorda com o outro sem defender o próprio ponto de vista, nunca diz “não” com medo de desagradar, vive “engolindo sapo”, sem conseguir se expressar. O excesso de passividade chega ao ponto de apagar a pessoa.

Felizmente não precisamos escolher entre esses dois jeitos de se comunicar. Temos que buscar uma comunicação assertiva para expressar corretamente opiniões e atitudes para que a mensagem cause no interlocutor a reação esperada.

Para isso, podemos adotar algumas características do perfil agressivo e outras do passivo para chegar ao equilíbrio desejado. Da personalidade passiva, incorpore a estratégia de escutar de verdade e considerar o ponto de vista do outro. Da personalidade agressiva, aprenda a ser firme para defender suas convicções e demonstrar autoconfiança.

Ser assertivo é ter a habilidade de expor e defender uma ideia, um posicionamento ou um sentimento de forma objetiva, tranquila e sem causar conflitos. No livro “Comunicação Assertiva: o que você precisa saber para melhorar suas relações pessoais e profissionais”, coordenado por Camila Benatti e Andrea Becker, vários autores compartilham suas experiências e técnicas para alcançar a assertividade na comunicação, que pode ser útil em diferentes situações.

Algumas recomendações:
- Escolha o momento e o lugar adequados para a conversa;
- Use uma voz segura, falando como firmeza, mas com calma;
- Repita os pontos que considera mais importantes;
- Descubra o que faz sentido para o outro, qual a linguagem que o outro compreende, não o que faz sentido só para você;
- A comunicação não-verbal também deve ser assertiva. Por isso fale olhando nos olhos e evite gestos que demonstrem nervosismo;

Quando conseguimos nos expressar de forma aberta e honesta, sem desrespeitar o direito do outro, sem julgar o outro, estamos trilhando caminhos para evitar ou solucionar conflitos. Uma frase famosa ilustra bem esse conceito: “a guerra começa quando o diálogo termina”.

E não estamos só falando sobre a guerra entre nações ou povos, isso cabe também para situações no trabalho ou no ambiente familiar.

Além de construir um ambiente mais harmônico, a comunicação assertiva, baseada num diálogo sincero e respeitoso, facilita a compreensão, reduz a ansiedade e o estresse.

Ou seja, faz bem até para a saúde!

 

O Alô Chapada não se responsabiliza pelas opiniões emitidas neste espaço, que é de livre manifestação

Entre no grupo do Alô Chapada no WhatsApp e receba notícias em tempo real 

Volte para capa do Alô Chapada

Comente esta notícia