Sexta-feira, 17 de Maio de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather
Sexta-feira, 17 de Maio de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather

Geral Terça-feira, 27 de Fevereiro de 2024, 08:59 - A | A

Terça-feira, 27 de Fevereiro de 2024, 08h:59 - A | A

MAIS IGUALDADE

TCE-MT e ALMT firmam parceria para promover empreendedorismo no estado e reduzir desigualdades

A questão foi debatida em reunião com o conselheiro-presidente, Sérgio Ricardo, nesta segunda-feira (26).

O presidente do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT), conselheiro Sérgio Ricardo, anunciou a criação de um fórum interinstitucional voltado ao avanço do empreendedorismo no estado. A questão foi debatida em reunião nesta segunda-feira (26), com representantes da Câmara Setorial Temática de Apoio ao Empreendedorismo e das Micros e Pequenas Empresas da Assembleia Legislativa (ALMT). 

De acordo com o conselheiro-presidente, o fomento ao empreendedorismo e à industrialização é um dos principais caminhos para que Mato Grosso possa reduzir as desigualdades socioeconômicas entre seus municípios. “O Tribunal vem movimentando todos os setores na busca pelo fim das desigualdades no estado. Assumimos este trabalho com muita ênfase e estamos trazendo todos os setores para esta construção”, afirmou. 

Sérgio Ricardo lembra que um dos reflexos da falta de incentivo ao setor é a perda populacional. Na última década, segundo o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 51 municípios mato-grossenses passaram por este fenômeno. “Essa gente foi embora em busca de oportunidades e, para isso, só tem um jeito, nós temos que criar oportunidades nos municípios e qualificar as pessoas”, pontuou. 

Um dado apresentado pela Câmara reforça o potencial para a industrialização: em 2023, Mato Grosso gastou R$ 3 bilhões com produtos fabricados em outros estados, como por exemplo, uniformes escolares. Considerando que o estado é o maior exportador de algodão do Brasil, o mercado têxtil encontraria vantagens logísticas para se desenvolver e gerar emprego e renda em diferentes regiões. 

“Nós mandamos nosso algodão para outros lugares e depois compramos de volta já como produtos industrializados. Esses produtos poderiam estar sendo fabricados aqui. Então, precisamos de políticas para incentivar a implementação de empresas, principalmente nas regiões onde estão os menores municípios e os mais pobres”, completou o conselheiro. 

Segundo o presidente da Câmara, Cléber Ávila Ferreira, este é um dos principais objetivos da criação de um programa indicado pela Assembleia ao Governo. “A proposta é criar um ambiente adequado para que micro e pequenas empresas do setor industrial possam se instalar em cidades de pequena população e que tenham uma economia estagnada. A ideia é gerar emprego e renda onde mais se necessita de oportunidade.” 

A partir da reunião na Corte de Contas, a expectativa da Câmara é que mais instituições se mobilizem e novas proposições, principalmente referentes a questões tributárias e de fomento, melhorem o cenário para estes negócios. Desta forma, o estado poderá alavancar um setor que emprega mais de 70% da mão de obra de carteira assinada em todo o Brasil. 

Com relação ao fórum, Cléber destacou que a participação da equipe técnica do TCE-MT no debate vai elevar o nível dos projetos. “Percebemos o empenho e o interesse do presidente do Tribunal em ajudar os municípios de Mato Grosso a resolver esse problema, que é geração de emprego, geração de renda e o retorno à sociedade na prestação de serviços públicos”, concluiu.

 

Entre no grupo do Alô Chapada no WhatsApp e receba notícias em tempo real 

Volte para capa do Alô Chapada

Comente esta notícia

Alvaro Lucas do Amaral 09/05/2024

Empeendeforismo é meio não fim , temos que ter uma ação de desenvolvimento regional que identifique os projeto potenciais de desenvolvimento territorial sustentavel , que vao demandar a qualificação de emprrendedor.

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1