Sexta-feira, 21 de Junho de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather
Sexta-feira, 21 de Junho de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather

Geral Quarta-feira, 12 de Julho de 2023, 18:45 - A | A

Quarta-feira, 12 de Julho de 2023, 18h:45 - A | A

inadimplência

Mato Grosso está em 5º lugar no ranking dos endividados

71 milhões de brasileiros estão endividados; Especialista explica quais os melhores caminhos para quitar as dívidas

DA ASSESSORIA

De acordo com o último Mapa de Inadimplência e Renegociação de Dívidas do Serasa, o Brasil atingiu 71,9 milhões de famílias endividadas, um total de 44,9% de lares no país. O estado do Mato Grosso está em 5º lugar no ranking de inadimplentes, batendo 50,1% de devedores.

O coordenador do curso de Ciências Contábeis da Unic Beira Rio, Ederaldo Lima, ressalta que sair das dívidas é tarefa difícil e que exige determinação. “Com planejamento e disciplina é possível se livrar das dívidas que se tornam recorrentes quando o consumo é maior q a renda da família. A organização financeira é essencial, não só para equilibrar os gastos e estar tranquilo quanto ao que deve ser quitado, mas para garantir uma renda poupança para gastos que porventura possam surgir, como doenças inesperadas ou viagens de emergência, por exemplo”, explica o docente.

Ainda de acordo com Ederaldo, o maior vilão do endividamento das famílias são os cartões de crédito, cuja taxa média está em 201% ao ano e o percentual médio do cartão rotativo (cobradas de clientes que não quitam toda a fatura mensal) é de 448% ao ano, ou seja, é um crédito ruim e a inadimplência com cartão chega a mais de 50%.

Para evitar o endividamento e alcançar a estabilidade financeira até o final do ano, o especialista sugere algumas estratégias simples e eficazes: relacione todas as dívidas e entre em contato com os credores para negociar os pagamentos, procure feirões que ofereçam descontos de até 99% para renegociar suas dívidas e utilize o 13º salário para amortizar essas pendências.

 Leia mais: Com roda gigante, balonismo, salto de paraquedas, Festival de Inverno segue modelo mundial

Além disso, o coordenador destaca a importância do autoconhecimento para evitar novas dívidas. Compreender o motivo das compras, evitar compras compulsivas, comparações sociais, materialismo e vulnerabilidade de consumo são fatores cruciais para um melhor controle financeiro. Para equilibrar a renda, ele sugere destinar 50% para gastos essenciais, como aluguel, alimentação e transporte; 30% para estilo de vida, como academia e lazer; e 20% para pagamento de empréstimos ou investimentos.

 Para evitar novas dívidas, o coordenador aponta as seguintes dicas:

- Tenha uma planilha de controle de gastos, incluindo despesas fixas mensais e gastos com cartão de débito.

- Faça uma lista antes de ir ao supermercado, defina uma data fixa para compras mensais e pesquise preços.

- Evite ter muitos cartões de crédito, priorize o pagamento à vista e, se precisar parcelar, escolha o número de parcelas sem juros.

- Opte por um carro mais econômico e faça revisões regularmente para evitar gastos excessivos com reparos.

- Planeje passeios com uma média de gastos prevista e busque opções de lazer gratuitas.

- Adote hábitos de consumo consciente para economizar alimentos, água e energia.

- Ao renovar o contrato de aluguel, proponha uma renegociação ao proprietário e explique sua situação.

- Organize-se para os pagamentos sazonais do primeiro trimestre do ano, como IPTU, IPVA e mensalidades escolares, utilizando, se possível, o 13º salário para fazer reservas.

 

Entre no grupo do Alô Chapada no WhatsApp e receba notícias em tempo real 

Volte para capa do Alô Chapada

Comente esta notícia