Terça-feira, 28 de Maio de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather
Terça-feira, 28 de Maio de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather

Geral Quinta-feira, 30 de Novembro de 2023, 10:23 - A | A

Quinta-feira, 30 de Novembro de 2023, 10h:23 - A | A

INFRAESTRUTURA

No Centro-Oeste, MT é estado que mais apresenta problemas nas estradas

O estado tem 75,9% da malha avaliada como regular, ruim ou péssima, enquanto só 24,1% é considerada ótima ou boa.

Da Redação

Uma pesquisa da Confederação Nacional dos Transportes (CNT), divulgada nesta quarta-feira (29), mostrando as melhores e as piores estradas do país, destacou as más condições das rodovias de Mato Grosso. O estudo sugere que são necessários investimentos significativos de R$ 3,8 bilhões para melhorar as estradas locais.

A pesquisa mostra ainda o impacto das condições de transporte nas exportações, levando em consideração que Mato Grosso responde por 32% das exportações brasileiras de soja (dados de setembro, do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária – IMEA). Além disso, é o principal exportador de carne bovina em volume, devido ao maior rebanho do país.

O levantamento da CNT mostra que 67,5% das rodovias brasileiras têm classificação regular, ruim ou péssima em termos de extensão, enquanto 32,5% são consideradas ótimas ou boas. No caso de Mato Grosso, 75,9% da malha rodoviária pavimentada avaliada apresenta algum tipo de problema, indicando que apenas 24,1% é considerada ótima ou boa.

Segundo o levantamento, para melhorar a competitividade do estado é preciso investir quase R$ 4 bilhões imediatamente. O Ministério dos Transportes rebateu a informação lembrando que o governo federal já investiu R$ 25 milhões no estado (de janeiro a setembro) e mencionou o plano de concessão da BR 364, prevista para o ano de 2024, além de outros investimentos em Rondonópolis.

Pesquisa
A CNT relacionou em sua pesquisa 5.9 mil km de rodovias em Mato Grosso, apontando problemas na sinalização, geometria da via, condições do pavimento e sete pontos críticos no estado. As más condições do pavimento resultam em aumento de custo operacional do transporte em 30,9%, prejudicando a competitividade e elevando os preços dos produtos.

Estima-se um prejuízo de R$ 494,65 milhões em 2022 devido a acidentes e um consumo desnecessário de R$ 71,2 milhões de litros de diesel, custando R$ 468,47 milhões aos transportadores.

Dos recursos autorizados pelo governo federal em 2023 para a infraestrutura rodoviária em Mato Grosso, apenas R$ 25,06 milhões foram investidos até setembro, demonstrando a necessidade de um maior direcionamento de verbas para melhorias nas estradas do estado.

 

Entre no grupo do Alô Chapada no WhatsApp e receba notícias em tempo real 

Volte para capa do Alô Chapada

Comente esta notícia