Terça-feira, 28 de Maio de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather
Terça-feira, 28 de Maio de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather

Chapada Domingo, 22 de Outubro de 2023, 10:15 - A | A

Domingo, 22 de Outubro de 2023, 10h:15 - A | A

ÁGUA DOCE

Três praias de Chapada dos Guimarães estão apropriadas para banho

Foram coletadas amostras de água de Cuiabá, Várzea Grande, Santo Antônio, Chapada dos Guimarães e Rosário Oeste

Da Redação

Treze das quinze praias da baixada cuiabana analisadas pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) na campanha de balneabilidade de 2023 foram classificadas como próprias para banho. Em Chapada dos Guimarães, as Cachoeiras da Martinha (Rio da Casca), Coxipozinho (Cachoeirinha) e Córrego da Piedade (Cachoeira dos Namorados) foram consideradas próprias para banho, com classificação satisfatória. Marinas do Lago do Manso foi considerada muito boa e Córrego da Salgadeira como excelente.

As duas praias classificadas como impróprias foram nas Comunidade São Gonçalo e Bonsucesso, ambas no Rio Cuiabá. Foram coletadas amostras de água nos municípios de Cuiabá, Várzea Grande, Santo Antônio, Chapada dos Guimarães e Rosário Oeste.

Os municípios da baixada cuiabana fazem parte da campanha de balneabilidade da Bacia do Paraguai, que analisou, além das 15 praias da baixada cuiabana, mais uma em Barra do Bugres e outra em Nortelândia, totalizando 17 locais para banho. O Rio Paraguai em Barra do Bugres foi classificado como impróprio para banho e a Praia Nortefly (Rio Santana), em Nortelândia, foi considerada própria, com classificação muito boa.

As praias consideradas próprias para banho em Cuiabá foram: Ponte de Ferro e Coxipó do Ouro (Rio Coxipó), Balneário Soberbo (Coxipó Açu), Balneário Rio Claro, Balneário Rio Mutuca. O Balneário Rio Claro foi classificado como excelente e o Balneário Rio Mutuca como satisfatório, já as outras foram consideradas muito boas.

As outras praias consideradas próprias na baixada cuiabana foram Passagem da Conceição (Rio Cuiabá), em Várzea Grande, com classificação excelente, Praia das Veredas (Rio Cuiabá), em Santo Antônio e Paira das Embaúbas, em Rosário Oeste, ambas consideradas satisfatórias. Amostras na praia de Santo Antônio (Rio Cuiabá), no município de Santo Antônio, não pôde ser coletada devido a impossibilidade de acesso pelo fato de estar bloqueada para construção.

“É muito importante que a população desfrute dos recursos hídricos para a prática de balneabilidade com segurança pois no calor é frequente a procura dos banhistas pelas praias de rio ou reservatório. Mas essa prática deve ser feita com segurança para evitar doenças de veiculação hídrica que podem trazer consequências a saúde”, destaca o Coordenador de Monitoramento da Água e do Ar da Sema, Sergio Figueiredo.

Como é feita a análise

A coleta da balneabilidade tem a sua metodologia descrita na Resolução nº 274/2000 do Conselho Nacional do Meio Ambiente. Ela consiste na realização de amostragens durante 5 semanas consecutivas. São coletadas amostras de água em locais utilizados por banhistas para recreação de contato primário (balneabilidade), no trecho onde é possível atingir a isóbata de 1 m.

São coletadas amostras para análise microbiológica e medido o pH. As amostras são acondicionadas em caixas térmicas e enviadas para análise no Laboratório da Sema, em Cuiabá, onde são processadas. Esse processo vai se repetir uma vez por semana, durante 5 semanas.

Ao final, técnicos da Sema emitem um boletim informando se a praia está própria (excelente, muito boa ou satisfatória) e imprópria para banho.

Praias impróprias na Bacia Paraguai

As Comunidades São Gonçalo e Bonsucesso desde o início das campanhas de balneabilidade realizadas pela Sema apresentam classificação Imprópria para recreação de contato primário, sendo a Comunidade São Gonçalo, desde 2007 e Bonsucesso desde 2003. Bonsucesso apresentou valor elevado de Escherichia coli em todos os dias coletados. Na Comunidade São Gonçalo, devido à constatação prévia de lançamento de esgotos no local não foi realizada coleta de amostras de água, pois esta situação já caracteriza a água como imprópria para recreação de contato primário.

A praia do Rio Paraguai situada no município de Barra do Bugres se apresentou imprópria para banho devido ao valor elevado de Escherichia coli na maioria dos dias coletados. Em 2017, 2018 e 2019 a praia do Rio Paraguai já havia apresentado classificação imprópria devido aos valores elevados de Escherichia coli.

Campanha de Balneabilidade

A campanha que teve início em junho e é realizada todos os anos em várias regiões do Estado, avalia a qualidade da água para recreação primária. Laboratório de Monitoramento da Água e do Ar da Sema, por meio de amostras coletadas em diferentes dias consecutivos, realiza a análise da água em praias com maior número de visitantes e a classifica como própria ou imprópria para banho.

A campanha traz informações essenciais para quem usufrui do rio para recreação primária, que é o contato direto e prolongado com a água.
A utilização da água para fins recreativos é comum no Estado de Mato Grosso, principalmente nos rios próximos às cidades, onde ocorre a formação de praias na época da seca. Por esse motivo torna-se relevante conhecer a qualidade da água para garantir a conservação dos recursos hídricos e proteção da saúde da população.

A Sema orienta a população a sempre evitar a recreação de contato primário (balneabilidade) nos locais classificados como impróprios, evitar o banho após a ocorrência de chuvas de maior intensidade, evitar ingestão de água destes locais sem o devido tratamento, com redobrada atenção a crianças e idosos.

A população também pode comunicar à Secretaria eventos ou circunstâncias que possam levar a dúvidas quanto à manutenção da condição de balneabilidade de qualquer recurso hídrico utilizado para recreação de contato primário, para que a Pasta, se necessário, adote providências de novas avaliações.

Tanto a análise como a classificação de balneabilidade são importantes, pois, ao verificar a existência de lançamentos de esgoto sanitário, fezes de animais ou presença de microrganismos patogênicos próximos aos rios é possível evitar doenças como poliomielite, cólera, hepatite, febre tifóide, gastroenterite, doenças da pele, entre outras. Portanto, é possível garantir a conservação dos recursos hídricos e proteger a saúde da população.

 

* Com informação da Secom

 

Entre no grupo do Alô Chapada no WhatsApp e receba notícias em tempo real 

Volte para capa do Alô Chapada

Comente esta notícia