Segunda-feira, 17 de Junho de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather
Segunda-feira, 17 de Junho de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather

Política Terça-feira, 09 de Maio de 2023, 10:18 - A | A

Terça-feira, 09 de Maio de 2023, 10h:18 - A | A

FAKE NEWS

Ex-chefe de gabinete de vereadora nega esquema de “rachadinha”

Edna Sampaio se manifestou nas redes sociais e disse que vai processar aqueles que propagam inverdades

RODRIGO MELONI

A ex-chefe de gabinete da vereadora Edna Sampaio (PT), Laura Abreu, publicou um vídeo em seu perfil do Instagram, negando a existência de um suposto esquema de “rachadinha” à época em que trabalhou no gabinete da vereadora. Na publicação, Laura explicou que não teve envolvimento com a divulgação dos prints de conversas dela para a mídia com o marido da vereadora, o servidor público Willian Sampaio, destacando que estes teriam sido vazados para a mídia por uma pessoa de sua confiança.

“Então é isso que eu queria deixar claro para vocês. Eu não participo de esquema de rachadinha, nunca devolvi meu salário para Edna [Sampaio]. Eu não tenho nada contra a Edna. Não fui eu que expus esses prints, o áudio para a imprensa, não fui eu. Eu nunca quis tornar isso público, nunca quis ser exposta da forma como eu estou sendo”, disse a ex-chefe.

Laura diz que a verba indenizatória era destinada para as demandas coletivas do gabinete de Edna Sampaio, conforme já havia sido dito pela vereadora, em uma live feita na quarta-feira (03), dando ênfase ainda a todo o embaraço que a situação tem causado em sua vida pessoal.

“Para mim foi muito difícil ter que gravar esse vídeo e está sendo mais difícil ainda publicar ele, mas não posso deixar as pessoas falarem por mim, inventarem coisas sobre mim, sobre minha moral e minha conduta ética, está sendo difícil passar por isso, os apontamentos e julgamentos sem saberem da verdade, tudo isso me abalou muito (...) É um momento muito difícil, porque eu queria passar minha gestação tranquila, cuidando de mim e do meu bebê. Mas, infelizmente eu tenho que lidar com isso”, concluiu.

A vereadora usou a tribuna da Câmara Municipal no dia 04 de maio para se defender da acusação de rachadinha com recursos de verbas indenizatórias. Ela comentou que está sendo vítima de violência política e de gênero por pessoas que tentam desgastá-la emocionalmente com acusações que não têm nenhum fundamento.

Edna alegou que a cada três meses faz o balanço e prestação de contas sobre o uso dos recursos das verbas indenizatórias, tanto dela, quanto da chefe de gabinete. “Não existe rachadinha, não se trata de salário, se trata de verba indenizatória, que não é complemento salarial, nem para o vereador, nem para o chefe de gabinete. A legislação é clara sobre o uso desses recursos públicos e, veja bem, uso esse recurso público e dou publicidade aos nossos apoiadores, do mandato coletivo, faço a prestação de contas mês a mês de todos os itens gastos com esse recurso, que é público e que não é nosso salário”.

De acordo com a petista, também não procede que o caso tenha sido denunciado pela ex-chefe de gabinete, exorada no começo do ano. Segundo ela, a própria Laura Abreu negou ter enviado os prints a outras pessoas. Edna também negou que esteja sendo investigada pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MP-MT).

“Estivemos ontem no Ministério Público pegamos uma certidão negativa para comprovar que no Ministério Público não existe nenhuma ação contra a vereadora Edna para investigar qualquer tipo de irregularidades das verbas que são públicas. Utilizam dessa estratégia de fazer fake news para poder reproduzir nauseantemente até que as pessoas se convençam que é verdade, que a vereadora está fazendo desvio de recurso, quando exatamente é o contrário, a vereadora que presta conta, exatamente item por item do que é gasto da verba indenizatória”, destacou

Manifestação de apoio
Edna Sampaio publicou um texto em seu perfil numa rede social onde pede desculpas a Laura. "Laura, eu sinto muito. Sinto muito por você não poder esperar seu filhinho em paz, arrumando a casa para recebê-lo como você havia me dito que faria. Sei como fica seu coração ao ver seu nome em notícias de minha e de sua desonra. Eu me abraço e lhe abraço também."

A vereadora ainda creditou a situação em que as duas foram colocadas a um traço do comportamento machismo. "Aqueles homens voltaram a fazer campanha pra nossa intriga. Eles adoram criar estórias de mulheres que brigam, competem e se destroem. E, infelizmente, encontram mulheres que os apoiam. Eles querem nos destruir, nos silenciar."

Em uma análise mais profunda, Edna disse que plantaram desconfiança e ódio. "Fazem de você a pobre mulher preta desamparada e, de mim a bruxa malvada que, voando em sua vassoura, precisa ser abatida. Para eles, mulheres não podem voar. Por isso não poupam esforços para nos fazer oponentes e nos abater mutuamente."

Leia a manifestação da vereadora na íntegra
Sinto imensa indignação, tristeza e revolta, um misto de emoções que conheço tão bem diante de uma violência tão absurda! E tem violência maior que a nossa desonra? A tentativa de assassinato político e moral de duas mulheres?

Sei que toda essa violência é para me intimidar ou destruir e, lamento que você seja usada de forma tão vil, sem escolha. Mas, preserve entre nós todo o carinho que construímos, para que eles não nos roubem a ternura.

Hoje, eu tirei um tempo para acolher a minha fragilidade. Dou-me o tempo para acolher o meu próprio cansaço, quando chego à exaustão. Acolha-se, também, e lembre-se, diante desses homens covardes, que nunca foi fácil pra nós. Corpos negros são sempre vistos como suspeitos na abordagem da polícia, pela segurança do shopping, pelo atendente da loja de marca, na portaria de condomínios de luxo.

Mulher ainda é vista como criatura de um dono que a “proteja” (às vezes um feminicida) ou; uma impostora quando sua autonomia se torna ameaçadora. Por que isso seria diferente no espaço da política?

Cabe-nos enfrentar e, mudar o rumo de nossas histórias: nem coitada, nem malvada; nem santa; nem puta. Somos mulheres pretas e, caminhamos juntas nesta longa estrada em busca de nossa humanidade. Segue uma foto nossa com a Neusa Baptista. Como você, estamos todas grávidas e, ninguém vai impedir o nascimento do futuro que estamos gestando.

 

Entre no grupo do Alô Chapada no WhatsApp e receba notícias em tempo real 

Volte para capa do Alô Chapada

Comente esta notícia