Segunda-feira, 15 de Julho de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather
Segunda-feira, 15 de Julho de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather

Geral Quinta-feira, 27 de Junho de 2024, 14:34 - A | A

Quinta-feira, 27 de Junho de 2024, 14h:34 - A | A

MANEJO DO FOGO

Ibama participa de projeto internacional que aborda a diversidade de incêndios

No total, 24 instituições de dez países participaram do FIRE-ADPAT, programa financiado pela União Europeia

Da Redação

Brasília (26/06/2024) - De 10 a 27 de junho de 2024, o Brasil hospedou o StudyHub Brazil, uma fase do projeto FIRE-ADAPT. Este projeto, financiado pela União Europeia através do programa Marie Sktodowska-Curie, é coordenado pela Fundação Pau Costa da Espanha. Reúne 24 instituições de 10 países: Espanha, França, Reino Unido, Portugal, Itália, México, Colômbia, Brasil, Bolívia e Argentina. O objetivo principal é abordar toda a diversidade de tipos de incêndios e os seus diferentes contextos, reunindo conhecimentos especializados de todas as regiões da Bacia do Mediterrâneo e da América Latina com o objetivo de melhorar a compreensão do papel do Manejo Integrado do Fogo na prevenção de incêndios florestais e para melhorar os serviços ecossistêmicos naturais e culturais.

O StudyHub Brazil foi organizado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e pelo Sesc Pantanal. As atividades deste Study Hub visam familiarizar os participantes com os progressos que o país tem feito na gestão dos incêndios florestais nos últimos 35 anos, com especial enfoque na implementação de políticas relacionadas ao Manejo Integrado do Fogo.

Reprodução

IBAMA-ICMBIO

 Palestra do FIRE-ADAPT

Para atingir esse objetivo, foram realizadas conferências e debates com especialistas, além de visitas de campo para conhecer dois biomas (o Cerrado e o Pantanal) e sua relação com o fogo. Durante essas visitas, os participantes tiveram a oportunidade de interagir com técnicos, brigadistas e comunidades tradicionais.

A primeira fase ocorreu em Brasília, no auditório do Prevfogo/Ibama, incluindo debates internos entre os participantes e palestras de renomados pesquisadores brasileiros e profissionais ambientais, como Vânia Pivello, Pedro Paulo Xerente, Alexandre Sampaio, Emerson Vieira e Isabel Schmitt.

Para demonstrar o trabalho das instituições públicas, foram apresentadas palestras sobre a gestão do fogo no Brasil por Flávia Saltini Leite, coordenadora-geral do Prevfogo; João Paulo Morita, coordenador de Manejo Integrado do Fogo do ICMBio; Isolde Lando, coordenadora de Prevenção de Ilícitos da Funai; e Carolina Schubart, coordenadora do Plano de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais da Secretaria de Meio Ambiente do Distrito Federal.

“A primeira etapa do StudyHub Brazil foi planejada para ser a base das discussões e práticas que viriam pela frente. Tivemos diversas apresentações sobre a estrutura federal para gestão do fogo no Brasil, a relação do fogo com os diferentes biomas brasileiros e seus efeitos na fauna, flora e comunidades. Concentramos também nesta primeira etapa workshops e reuniões dos diferentes grupos de trabalho do FIRE-ADAPT.”, destaca Mariana Senra de Oliveira, assistente técnica de pesquisa e interagências do Prevfogo.

Após esta fase inicial, o grupo seguiu para o estado do Mato Grosso. A primeira parada foi no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães (PNCG), no qual foram conduzidos dois dias de atividades, incluindo a execução de queimas prescritas com a assistência de profissionais. Os participantes também foram apresentados a técnicas desenvolvidas pelas comunidades para queimas prescritas em locais de difícil acesso, como o uso de dispositivos aéreos artesanais feitos com bambu e estopa embebida em material inflamável.

"Há uma grande quantidade de trabalho feito no Brasil nos últimos 10 anos em relação ao Manejo Integrado do Fogo, abrangendo o Cerrado, Pantanal e outros biomas brasileiros. Esta experiência começou com trocas de informações científicas em sala, mas também incluiu visitas de campo para demonstrar o trabalho técnico realizado no país.", afirmou Luiz Gonçalves, analista ambiental do ICMBio responsável pela gestão do fogo no PNCG.

Em seguida, o grupo visitou a Estação Ecológica Serra das Araras, onde estão sendo realizados estudos sobre o uso do fogo no Cerrado. "O StudyHub Brasil representa o terceiro grande encontro dentro do projeto FIRE-ADAPT, proporcionando um intercâmbio valioso de conhecimentos ao trazer especialistas de diversos países para conhecer as práticas de gestão de fogo dos grandes gestores e pesquisadores do Brasil. Este é um momento crucial para a criação de redes e o compartilhamento de novos conhecimentos e perspectivas sobre o Manejo Integrado do Fogo.", destacou Imma Oliveiras Menor, coordenadora pedagógica do projeto.

A terceira etapa do StudyHub foi realizada no Pantanal mato-grossense, dando oportunidade para se explorar a aplicação do Manejo Integrado do Fogo na maior planície alagável do mundo.
"Para os pesquisadores, visitar o Brasil é uma oportunidade única para trocar técnicas e conhecimentos, além de vivenciar experiências de campo e compreender a realidade local, incluindo os conhecimentos das comunidades locais e ancestrais. Todo este conhecimento é valioso e precisa ser preservado.", disse Júlia Nogués, membra da equipe de coordenação do projeto.

Para o Brasil, é de suma importância hospedar fases de projetos como esse, a fim de que o país mostre para o mundo os avanços que tem alcançado na gestão do fogo, enquanto pode importar técnicas e conhecimentos científicos que estão sendo desenvolvidos em outros países.

* Com assessoria

 

Entre no grupo do Alô Chapada no WhatsApp e receba notícias em tempo real 

Volte para capa do Alô Chapada

Comente esta notícia