Terça-feira, 23 de Julho de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather
Terça-feira, 23 de Julho de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather

Chapada Sábado, 28 de Outubro de 2023, 07:41 - A | A

Sábado, 28 de Outubro de 2023, 07h:41 - A | A

ENGAJAMENTO

Mulheres indígenas criam perfil nas redes sociais para gerar renda em MT

O grupo foi criado a partir de uma oficina de comunicação, com o objetivo de aprender a utilizar as mídias sociais e principalmente o protagonismo feminino nas comunidades

Da Redação

Representantes femininas dos povos Munduruku, Zoró, Caiaby e Apiaká – Mato Grosso, Mulheres Indígenas, na Aldeia Figueirinha, Terra Indígena Apiaká-Caiaby, município de Juara-MT, iniciaram uma ação de comunicação nas redes sociais, com o intuito de movimentar a presença digital dos povos, contando para seus seguidores um pouco da sua cultura, produção alimentar e geração de renda. O trabalho pode ser acompanhado através de @projetomangap.

O grupo foi criado a partir de uma oficina de comunicação realizada no começo do segundo semestre, com o objetivo de aprender a utilizar as mídias sociais e principalmente o protagonismo feminino nas comunidades;
Conforme Luciene Morimã, que é Presidente da Associação Terra Indígena Apiaká-Caiaby (ATIAK), o espaço onde ocorreu a formação, também é certificado como ponto de cultura, representando a união e as lutas com projetos para a construção da unidade na Aldeia Figueirinha, durante a fala se emociona e afirma que está disposta aprender cada dia mais.

Maria Devanildes da Aldeia Itu Cachoeira, complementa a fala e diz que a comunicação é essencial para a luta e conquistas dos povos indígenas. Em depoimento uma das alunas afirma que é a primeira vez que participa de um curso, que esta é uma oportunidade importante para as aldeias, aprendeu muito e quer participar de mais formações.

O curso de Mídias Sociais para Mulheres Indígenas foi desenvolvido de forma concomitante com outras ações do Projeto Man Gap na Aldeia Figueirinha, como a formação em Gestão Organizacional para dirigentes de organizações comunitárias indígenas, que ocorreu entre em setembro, abordando Associativismo e Cooperativismo e a Capacitação em Boas Práticas de Coleta e Manejo de Castanha da Amazônia.

Atividades do Projeto Man Gap

Estas ações fazem parte do Projeto MAN GAP, da ASSOCIAÇÃO DO POVO INDIGENA ZORO PANGYJEJ APIZ, inserido no subprograma de Agricultura Familiar e de Povos e Comunidades Tradicionais, do Programa REM-MT e são resultados de um trabalho participativo de acordos em prol do desenvolvimento social, produtivo, econômico, organizacional e ambiental destes 04 (quatro) povos indígenas envolvidos.

O Projeto Man Gap vem trabalhando para fortalecer a cadeia de valor da castanha da Amazônia nas terras indígenas da região Noroeste de Mato Grosso, promovendo visibilidade e a sustentabilidade dessa atividade econômica, através do impulsionamento ao desenvolvimento socioeconômico das comunidades indígenas, estimulando seu empoderamento e a valorização cultural da castanha da Amazônia.

Dentre as diversas iniciativas no âmbito do Projeto Man Gap está a realização de diversas formações que irão ocorrer entre os meses de setembro a novembro de 2023, como as oficinas de Gestão Organizacional com abordagem em Associativismo e Cooperativismo, Planejamento da Safra de Castanha da Amazônia nas Terras Indígenas e a Capacitação em Boas Práticas de Coleta e Manejo de Castanha da Amazônia.

Estas formações objetivam o fortalecimento da cadeia de valor da castanha nas terras indígenas da região Noroeste de Mato Grosso através da criação de um arranjo coletivo entre as organizações comunitárias dos povos indígenas, da instalação e melhoria de infraestrutura para o transporte, armazenamento, beneficiamento e comercialização; ampliação e melhoramento da infraestrutura na fábrica instalada na Terra Indígena Zoró e a instalação de uma fábrica nova de beneficiamento na Terra Indígena Apiaká-Caiaby, valorizando o trabalho dos indígenas e garantindo a conservação da floresta amazônica.

A capacitação para os Povos Apiaká, Caiabi e Munduruku aconteceu no município de Juara-MT. Para os meses de outubro e novembro a programação se volta para o Planejamento da Safra da Castanha da Amazônia e a continuidade das capacitações na Terra Indígena Zoró, Aldeia Zawã Karej no município de Rondolândia MT.

* Com assessoria

 

Entre no grupo do Alô Chapada no WhatsApp e receba notícias em tempo real 

Volte para capa do Alô Chapada

Álbum de fotos

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Comente esta notícia

Eli 31/10/2023

Vou ler com carinho para saber do que se trata

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1