Segunda-feira, 17 de Junho de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather
Segunda-feira, 17 de Junho de 2024
facebook instagram youtube twitter whatsapp
Chapada dos Guimarães
icon-weather

Chapada Segunda-feira, 19 de Junho de 2023, 08:17 - A | A

Segunda-feira, 19 de Junho de 2023, 08h:17 - A | A

SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA

Áreas com risco de desmoronamento são mapeadas pela Defesa Civil em Chapada

Defesa Civil avalia a exposição e capacidade de resposta das comunidades afetadas por desastres

DA REDAÇÃO

A Defesa Civil de Mato Grosso realiza, nesta segunda e terça-feira (19 e 20), mapeamento de áreas de risco no município de Chapada dos Guimarães. Os agentes da Defesa Civil identificam as áreas suscetíveis a desastres e avaliam a probabilidade da ocorrência.

Por meio do mapeamento topográfico, as equipes também obtêm as características físicas da região, como elevações, rios, estradas e a localização das casas. Já por meio do mapeamento de vulnerabilidade, a Defesa Civil avalia a exposição e capacidade de resposta das comunidades afetadas por desastres.

Para o trabalho, são usadas tecnologias como imagens de satélite, dados de sensoriamento remoto e sistemas de informação geográfica (SIG).

A atividade, desenvolvida em conjunto com a Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil do município, é uma medida de prevenção que visa identificar as áreas propensas a desastres naturais, como inundações, deslizamentos de terra e enxurradas.

No dia 29 de maio, o prefeito de Chapada dos Guimarães, Osmar Froner, assinou Decreto Municipal nº 40/2023 que declara situação de emergência, por 180 dias, nas áreas afetadas pelas fortes chuvas, em especial após o temporal deste desde domingo (28) com índices pluviométricos de 221mm.

De acordo com a Defesa Civil Municipal, o índice aponta que o volume de chuva registrado neste domingo é o equivalente às chuvas esperadas para um período tipicamente chuvoso de 30 dias.

Leia mais: Prefeito declara situação de emergência em Chapada dos Guimarães

A medida leva em conta os estragos causados em ruas e avenidas, queda de muros em unidades escolares, residências atingidas pelas águas, além dos danos e isolamentos em inúmeros trechos de estradas rurais e pontes, prejudicando o escoamento da produção, o tráfego dos moradores e o transporte escolar.

“Esse trabalho de mapeamento é muito importante para redução do risco de desastres, visto que identificamos a quantidade de pessoas e imóveis em áreas de risco e sugerimos ao gestor municipal medidas preventivas, mitigatórias e de preparação da população local para evacuação e respostas de emergência, destacou o superintendente de Proteção e Defesa Civil de Mato Grosso, tenente-coronel BM Luis Cláudio Pereira.

 

 

Entre no grupo do Alô Chapada no WhatsApp e receba notícias em tempo real 

Volte para capa do Alô Chapada

Comente esta notícia